home > notícias

MUNDO

29/10/2019

Cultura portuguesa tem hoje interesse global pela ótima produção nacional

O curador da participação portuguesa na feira ART Toronto disse à Lusa que a internacionalização da cultura portuguesa já foi "um pouco limitada por razões históricas", mas hoje "tem um interesse global pela ótima produção nacional".

"Esta feira dá uma experiência de poder perceber a atividade cultural em Portugal, com esta nova geração de galeristas e alguma da produção artística em Portugal que se está a destacar ao nível internacional", afirmou João Ribas, no Canadá.

A 20.ª edição da feira de arte moderna e contemporânea de Toronto (ART Toronto) tem este ano como foco principal Portugal, contando com sete representações lusas, além de uma exposição coletiva de artistas portugueses.

O curador da participação portuguesa em Toronto, antigo diretor do Museu Serralves, sublinhou ainda que a internacionalização foi no passado "um pouco limitada por questões económicas e históricas".

"De certa forma houve vários desafios que não tornaram isso tão possível, mas estamos num ótimo momento de continuar o trabalho que foi feito nos anos 80 e 90, em termos dessa projeção e dimensão internacional em que várias instituições participarem e criaram esse caminho", realçou.

Estão incluídas na feira cinco galerias comerciais portuguesas e estão ainda representadas duas instituições sem fins lucrativos, o festival de arte contemporânea dos Açores Walk & Talk e o centro de investigação e agência de comunicação Carpe Diem Arte de Lisboa.

A produção cultural portuguesa cada vez mais tem "interesse internacional" e o foco em Toronto reflete "mostrar esse trabalho da ótima produção que está ao nível internacional", uma cultura que sempre teve "um papel não só na Europa, mas num sentido global".

"É importante porque o mercado de arte hoje em dia é um mercado internacional, e teremos que participar nesse mercado. A escala das instituições portuguesas é também internacional, as ambições e o trabalho e as relações dos artistas são internacionais", justificou João Ribas.

O ministério da Cultura de Portugal contribuiu com um apoio de 30 mil euros, patrocínio que incidiu exclusivamente na exposição coletiva com custos elevados no transporte das obras.

"Integram a exposição um coletivo de artistas emergentes, não é sempre trazer para fora os consagrados. É preciso dar a conhecer os mais jovens também. Foi sobre essa ação que se deu exclusivamente o apoio do ministério", destacou Rita Sousa Tavares, da comissão organizadora do Foco Portugal.

Há três anos no Canadá, a responsável pelas relações institucionais entre a ART Toronto com o Governo de Portugal enalteceu a importância da feira na "a estratégia da internacionalização para a cultura portuguesa ter este tipo de iniciativa".

Para a diretora da feira, Mia Nelson, a exposição Foco Portugal é o principal destaque da ART Toronto, "uma exposição que nunca tinha sido apresentada até aqui".

"Há uma enorme ligação com a enorme comunidade portuguesa presente em Toronto. Lisboa está-se a tornar num novo centro para as artes na Europa. Há uma nova geração de artistas. A forma como os trabalhos são feitos é muito sofisticada. É uma excelente adição para a feira", afirmou.

O galerista João Azinheiro, da Kubik Gallery, presente no certame, mostrou-se satisfeito pelo "sucesso de participação na feira".

"O apoio da feira permitiu-nos trazer artistas mais jovens com um futuro de valorização. Todos os artistas venderam pelo menos uma peça. Estamos muito satisfeitos pela participação. Podem surgir aqui negócios", disse.

O embaixador de Portugal no Canadá, João da Câmara, também participou na visita à feira, e quis destacar a importância da comunidade luso-canadiana em promover a cultura nacional.

"Tem que haver uma sustentabilidade e estas feiras são importantes como ponto de partida. A comunidade portuguesa pode ser muito importante e ser um bom divulgador das artes portuguesas nos locais de acolhimento", disse.

A Feira de Arte de Toronto teve início no dia 25 de outubro e termina hoje às 18:00 (23:00 de Lisboa), no Toronto Metro Convention Centre, com 120 expositores, sendo que cerca de 50% são internacionais, de países como a Finlândia, Alemanha e Coreia do Sul.

São esperados cerca de 130 mil visitantes.

 

Fonte: Notícias ao Minuto



NOTÍCIAS RELACIONADAS
05/11/2019
Concerto de guitarra portuguesa abre II Festival de Órgão
05/11/2019
Fernando Lemos: Ilustrações Literárias
05/11/2019
Gonçalo Byrne doa acervo com mais de 160 projetos à Casa da Arquitetura
05/11/2019
Arte no Brasil: uma história na Pinacoteca de São Paulo
05/11/2019
Anozero com obras de 39 artistas para provocar em Coimbra
05/11/2019
8 podcasts sobre artes visuais