home > notícias

MUNDO

03/02/2020

Jogos de tabuleiro promovem "socialização" no Centro Cultural de Viana do Castelo

O jogo português "Porto" criado pelo arquiteto portuense Orlando Sá, com ilustração de Luis Levy Lima, é um dos mais de 200 jogos de tabuleiro modernos que até este domingo estão disponíveis gratuitamente para o público no Centro Cultural de Viana do Castelo.

Centenas de pessoas, desde famílias inteiras a especialistas na área, passaram já este sábado por aquele espaço, aberto até à meia-noite. E muitas outras são esperadas amanhã até às 19 horas. Trata-se da 1ª edição do evento VianaCon - Convenção de jogos de tabuleiro modernos, organizada pela associação ArtMatriz, com apoio da Câmara local.

"Temos mais de 200 jogos à disposição das pessoas. Só têm de vir cá e pedir para jogar, que temos voluntários a ensinar, porque muitas vezes a barreira para não jogar é não conhecer as regras", afirma Ricardo Ferreira da organização. "Desde a manhã deste sábado já entraram no Centro Cultural de Viana para jogar mais de 300 pessoas. É gente do Mundo inteiro. Temos desde famílias que vieram do Alentejo e jogadores de todo o país, a polacos, irlandeses e galegos".

Paralelamente, à área de jogo, há outras atividades, como "workshops" de criação de jogos de tabuleiro e de pintura de miniaturas, torneios, de iniciação e de apuramento para o Campeonato Nacional de Jogos de Tabuleiro, e palestras. Este domingo haverá um torneio da Lego.

Além de público, o VianaCon conta com a presença de entendidos na matéria. É o caso do investigador Micael Sousa, que atualmente está a desenvolver um Doutoramento em que utiliza os jogos de tabuleiro "como modo de abordagem ao planeamento do território".

Defende que sejam aplicados, por entidades como municípios, "para fazer simulações de modo a que as pessoas possam participar nos processos de tomada de decisão no Ordenamento do território e políticas públicas". "É uma coisa testada já em alguns países, como a Holanda, onde há uma cultura de participação muito maior do que a nossa", diz.

Micael Sousa é formador e utiliza os jogos nas suas formações, e também integra a organização do Leiria Con que em março deste ano cumprirá a sua 15ª edição. O investigador afirma que este tipo de jogos pode ser aplicado às mais variadas áreas e que existem versões para todo o tipo de gostos. Trata-de se um fenómeno mundial que tem como "grande mais valia a socialização".

"Outra vertente muito importante é que os jogos de tabuleiro já se inserem nos movimentos da Era pós-digital, que não é a negação do digital, mas o perceber que se tivermos todas as dimensões da nossa vida no digital, perdemos a parte presencial, cara a cara, dos relacionamentos", comenta.

Fonte: Expresso



NOTÍCIAS RELACIONADAS
29/06/2020
Henrique Reinaldo Castanheira vence prémio literário UCCLA
29/06/2020
Teatro Maria Matos em Lisboa reabre em 15 de julho
29/06/2020
Prêmio Estação Imagem Coimbra a partir de 5 de julho com oito exposições
29/06/2020
Mostra de Cinema de Tavira celebra 20 anos entre estreias e clássicos
29/06/2020
Museu lança primeira impressão em 3D de um dinossauro português
29/06/2020
Festival de arte e música Fazunchar regressa a Figueiró dos Vinhos