home > notícias

NEGÓCIOS E ECONOMIA

03/11/2020

Carros eléctricos e plug-in com novo recorde mensal de vendas [Portugal]

Marcas como a Jaguar e a Mazda venderam mais eléctricos puros do que a soma de motores a gasóleo e gasolina. Mercado nacional continua, porém, em quebra generalizada, com excepção da Porsche.

O mercado nacional de automóveis continua pelas ruas da amargura, com excepção dos carros 100% eléctricos (BEV) e dos híbridos plug-in (PHEV). As vendas destas duas categorias seguem de vento em popa: em Outubro, foram adquiridos 2051 carros BEV e PHEV, um novo recorde mensal, depois do anterior ter sido atingido em Setembro (1952 unidades vendidas nesse mês).

Os eléctricos puros e os plug-in representam assim 12,4% do mercado nacional em Outubro, mês em que se venderam ao todo 16.565 veículos em Portugal. É um número ligeiramente acima do que os 16.404 comercializados em Setembro, traduzindo, assim, um pequeno crescimento em cadeia (mais 0,98%). Mas, em termos homólogos, Outubro foi mais um mês de quebra, neste caso de 13% face ao mesmo mês do ano anterior.

No mercado dos ligeiros, que representa 97,7% do mercado nacional em 2020, marcas como a Jaguar e a Mazda venderam mais eléctricos puros do que carros com motor a gasóleo ou gasolina juntos. Outras marcas, como a Land Rover ou a Kia, venderam mais híbridos plug-in ou eléctricos do que carros diesel, respectivamente.

Entre as opções electrificadas, os plug-in apresentam, na comparação com as vendas em Agosto, uma taxa de crescimento de 62,4%, quase duas vezes superior à taxa de crescimento dos eléctricos puros, que foi de 32,6% em Outubro face ao mesmo mês de Agosto.

A crescente popularidade dos plug-in suscita preocupações aos ambientalistas que afirmam que os portugueses compram muitos "eléctricos de fachada". São carros que, em estrada, podem ter emissões de CO2 acima das dos modelos ditos convencionais com motor de combustão interna e energia de origem fóssil.

Somando as vendas de Outubro em híbridos eléctricos às vendas de BEV e PHEV, a quota de mercado dos electrificados ultrapassou os 20% em Portugal. 

É neste contexto geral que o desempenho comercial dos carros electrificados assume ainda maior importância, visto que as vendas do mercado nacional voltaram a cair a dois dígitos em termos homólogos, algo que não acontecia desde Julho. 

Os dados são da Associação Automóvel de Portugal (ACAP). Com as novas matrículas de Outubro, o mercado nacional perfaz 143.733 viaturas novas desde Janeiro, um recuo de 36,3% face ao período homólogo de 2019.

Até Setembro, a quebra homóloga ainda era maior (menos 38,4%), mas todas as marcas, com excepção de uma, continuam com quebras face ao ano passado. Essa excepção chama-se Porsche que, mesmo com pior desempenho em Outubro, continua a ser a única marca com as vendas a crescer em 2020.

No quadro da União Europeia (UE), salienta a ACAP, o desempenho português é dos piores. “Portugal continua, assim, a ter uma das maiores quedas percentuais”, refere a associação. Os números europeus de Outubro ainda não são conhecidos e, por isso, só se pode comparar a realidade portuguesa e europeia de Setembro. Em Portugal, a quebra era de 38,4% quando no resto da UE as vendas recuavam 28,8%, segundo dados da associação europeia de construtores, a ACEA.

A popularidade dos veículos com carregamento eléctrico é transversal ao mercado europeu, apesar de diferenças nacionais significativas. Segundo a mesma ACEA, as vendas na UE cresceram 110% nos últimos três anos. 

Portugal está, como se sabe, no pódio dos países europeus que compram carros mais limpos e tem a quinta maior quota de mercado de electrificados na Europa. 

Porém, em termos de pontos de carregamento, a evolução europeia é muito mais lenta. Nos mesmos três anos, diz a ACEA num estudo divulgado na semana passada, a rede da UE cresceu 58% (são menos de 200 mil), com quatro países (Alemanha, Holanda, França e e Reino Unido) a concentrarem 75% dos postos desta rede.

“Apenas 28.585 pontos permitem carregamento rápido (com capacidade ≥22 kW) e os restantes 171.239 são pontos de carregamento normal (<22kW)”, enumera o relatório.

Em Portugal, a rede Mobi.e contabiliza 1048 postos de carregamento. Segundo o serviço Electromaps, o número total ascende a 2249, à data de hoje.

Fonte: Público

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
23/11/2020
Seguros de saúde crescem 8,9% e dão gás ao sector [Portugal]
16/11/2020
Economia portuguesa tem a quarta maior recuperação na Europa no terceiro trimestre [Portugal]
16/11/2020
Governo lança conjunto de medidas para retomada do turismo no país [Brasil]
16/11/2020
Estratégia Portugal 2030 ambiciona criar 25 mil novos empregos na I&D das empresas [Portugal]
16/11/2020
Consumo de energia volta a níveis pré-pandemia no Brasil [Brasil]
16/11/2020
Nobreza da madeira portuguesa cativa mercado árabe [Portugal]