home > notícias

MUNDO

10/11/2020

Mostra de dança junta coreógrafos em Viseu

Coreógrafos nacionais e internacionais vão cruzar-se com profissionais em início de carreira durante a nona edição da mostra de dança New Age New Time (NANT), que tem início dia 13, no Teatro Viriato, em Viseu.

Até 28 de novembro, este será um espaço de apresentação de trabalhos e de reflexão sobre a área da dança, numa altura em que as autoridades de saúde apelam ao distanciamento social, devido à covid-19.

Para a diretora artística do Teatro Viriato, Patrícia Portela, "fazer uma mostra de dança no panorama atual vai ter um sabor ainda mais doce", uma vez que "os encontros são cada vez mais distantes, o toque entre quem não coabita é cada vez mais impossível".

Neste contexto, "promover um ciclo onde corpos se encontram é um ato de resistência, é um voto de fé no que somos, e é uma aposta naquilo que nos torna mais humanos mas também mais planetários: a nossa fisicalidade, a nossa necessidade de sermos matéria e presença", sublinha.

Patrícia Portela refere que, "apesar das alterações que foram necessárias implementar, e independentemente do tema das coreografias, a dança fala sempre do encontro físico, e em tempo real dos corpos".

"Abordar isto em plena pandemia é radical, é necessário, dói e é bonito", realça.

O programa da NANT integra oito atividades programadas, três das quais são estreias e uma antestreia.

A abertura, no dia 13, ficará a cargo dos diretores artísticos da Companhia Paulo Ribeiro, São Castro e António M. Cabrita, com a estreia de "Sinais de Pausa".

Segundo o Teatro Viriato, trata-se de um dueto "que se inspira no universo literário de José Saramago, nas fragilidades e contradições do ser humano, na invocação do passado com um olhar no presente, na desordem revolucionária do uso da pontuação".

O dueto marca o regresso dos coreógrafos e bailarinos à interpretação, no ano em que se celebram 25 anos de atividade da Companhia Paulo Ribeiro, residente no Teatro Viriato.

João dos Santos Martins regressará ao Teatro Viriato no dia 18, com a estreia de "Coreografia", um trabalho inspirado no tratado de Raoul Feuillet (teórico de dança francês do século XVIII), que mostra como "como a coreografia se escrevia em papel para só depois ser interpretada e transposta para o corpo".

No dia 21, em antestreia, será mostrado o documentário "Nada pode ficar", realizado durante as atividades programadas pelo coreógrafo João Fiadeiro (um dos protagonistas do movimento da Nova Dança Portuguesa e artista residente no Teatro Viriato) para assinalar o fecho do seu espaço de criação em Lisboa, em 2019.

No mesmo dia, sobe ao palco uma criação de João Fiadeiro, intitulada "O que fazer daqui para trás", que "explora o tempo enquanto unidade duracional, suspensa ou intervalar".

Para dia 24 está marcada a estreia de "Faustless", de Margarida Belo Costa, que tem desenvolvido um movimento ligado a questões morais e sociais. A coreografia desafia os espetadores a repensar as representações femininas, em particular na obra "Fausto", de Goethe.

A NANT encerra com a coreografia "Timber", da Companhia Instável.

De acordo com o Teatro Viriato, "esta peça surge de um desafio lançado pela companhia e pelo coletivo Drumming GP ao coreógrafo Roberto Olivan para criar uma performance com música de Michael Gordon" e faz uma reflexão "sobre a autodestruição construída ao longo dos anos, sobre as barreiras que limitam o ser humano e a noção de liberdade que cada um possui".

O programa da NANT incluiu ainda a oficina "Lugares do Público na Dança Contemporânea", com Paula Varanda, que permite ao público da mostra de dança discutir os trabalhos artísticos a que assiste.

Com o objetivo de promover o diálogo entre gerações de artistas, o festival "Lugar Futuro", da escola de dança Lugar Presente, também se junta à NANT, entre os dias 20 e 22.

Fonte: Notícias ao Minuto

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
22/02/2021
Lima Duarte celebra 'Bem-Amado' e diz que Zeca Diabo continua no imaginário popular
22/02/2021
Museu de arte e educação de Siza e Castanheira é um dos Edifícios do Ano do ArchDaily
22/02/2021
As audio-coreografias para olhos fechados de Sara Anjo
22/02/2021
Exposição Degas - MASP
22/02/2021
Filipe Pinto faz canção e filme inspirados na "autenticidade" dos Açores
22/02/2021
Celebração do auge de Pelé, documentário na Netflix também expõe o Rei