home > notícias

MUNDO

07/12/2020

Lisboa faz homenagem a Ribeiro Telles através de mural em Alvalade

Obra do artista Styler pode ser vista nos logradouros da zona poente da Av. Estados Unidos da América.

A Câmara Municipal de Lisboa mostrou, este sábado através do Facebook, o resultado final de uma "nova obra de arte urbana na cidade". Localizada em Alvalade, e da autoria do artista Styler, o mural pretende homenagear o arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles, que morreu a 11 de novembro de 2020. 

"O novo mural em Alvalade tem 40 metros de comprimento e é uma homenagem a Gonçalo Ribeiro Telles, retratando uma das obras de destaque do arquiteto paisagista, o Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian", explica a autarquia na publicação.

A obra pode ser vista nos logradouros da zona poente da Av. Estados Unidos da América.

Também o autor da obra publicou o resultado final na mesma rede social. "Partilho com vocês o resultado final desta obra que realizei recentemente em Alvalade a pedido da Junta de Freguesia de Alvalade, com o objetivo de homenagear o arquiteto, paisagista Gonçalo Ribeiro Telles. Obrigado pela confiança", escreveu Styler.

Veja as imagens publicadas pelo artista na galeria acima. 

Gonçalo Ribeiro Telles. A vida e obra

Nascido em Lisboa, em 25 de maio de 1922, Gonçalo Pereira Ribeiro Telles licenciou-se em Engenharia Agrónoma, e formou-se em Arquitetura Paisagista, no Instituto Superior de Agronomia, onde iniciou a vida profissional como assistente e discípulo de Francisco Caldeira Cabral.

Em 1971, ajudou a fundar o movimento Convergência Monárquica e, após o 25 de Abril, foi um dos fundadores do Partido Popular Monárquico, a cujo diretório presidiu, e que, em 1979, fez parte da Aliança Democrática (AD), liderada por Francisco Sá Carneiro.  

Ainda na política, fundou, em 1957, com Francisco Sousa Tavares, o Movimento dos Monárquicos Independentes e, depois, o Movimento dos Monárquicos Populares, apoiando, um ano mais tarde, a candidatura presidencial de Humberto Delgado.

Foi ministro de Estado e da Qualidade de Vida, no VIII Governo Constitucional, de 1981 a 1983, durante os governos da AD.

Gonçalo Ribeiro Telles foi um dos principais responsáveis pelo desenho das áreas verdes de Lisboa, de Monsanto às zonas ribeirinhas, oriental e ocidental, do Vale de Alcântara, ao Jardim Amália, no Parque Eduardo VII, sem esquecer o mais antigo Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, que fez em parceria com Viana Barreto, pelo qual recebeu o Prémio Valmor, em 1975, nem projetos noutras zonas do país, como o Vale das Abadias, na Figueira da Foz.

O Corredor Verde de Monsanto e a integração da zona ribeirinha oriental e ocidental na Estrutura Verde Principal de Lisboa, bem como os projetos da Radial de Benfica, do Vale de Chelas, e do Parque Periférico também são da sua autoria.

Fonte: Notícias ao Minuto

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
18/01/2021
Lisboa Capital Verde: Prémio de fotografia promove talento de estudantes
18/01/2021
Universidade Nova de Lisboa passa a aceitar Enem para ingresso de brasileiros
18/01/2021
Prémio Virgínia Quaresma atribuído a Eduardo Lourenço e Sara Maia
18/01/2021
Maior monumento megalítico de Portugal com zona especial de proteção
18/01/2021
Setúbal criou a Casa das Imagens com doação de Lauro António
18/01/2021
Teolinda Gersão celebra 40 anos de carreira literária com novo livro