home > notícias

MUNDO

16/11/2020

Pintor Eduardo Batarda distinguido com medalha de mérito cultural

O artista plástico Eduardo Batarda vai ser distinguido na segunda-feira com a medalha de mérito cultural, foi hoje anunciado pelos serviços do Ministério da Cultura.

A cerimónia decorrerá na Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva, Lisboa, e a distinção deverá ser entregue pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, à filha do artista, a atriz Beatriz Batarda, porque "não está prevista a presença do artista", referiu à Lusa fonte do ministério.

Eduardo Batarda, nascido em Coimbra em 1943, é definido por críticos, curadores, historiadores de arte e outros artistas, como um criador incontornável no processo de crítica e renovação da prática artística contemporânea, em Portugal, a partir dos anos sessenta do século XX.

Formado em Pintura, na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, depois de ter desistido do curso de Medicina, Eduardo Batarda cumpriu o serviço militar obrigatório, em plena guerra colonial e, de 1971 a 1974, frequentou a classe de pintura do Royal College of Art, em Londres, como Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian.

Esses anos no Reino Unido foram "determinantes no aprofundamento de uma tendência, assinalável já nas suas primeiras pinturas e sistematicamente presente desde então na sua obra, para pensar a arte, o papel da arte, a história de arte e a teoria de arte na própria pintura", afirma a Fundação Calouste Gulbenkian, que conta com várias obras de Eduardo Batarda na sua coleção, e que acolheu em 1998 uma exposição retrospetiva.

Eduardo Batardam que durante mais de trinta anos deu aulas na Escola Superior de Belas Artes do Porto, expõe, desde 1966.

Entre as principais exposições do percurso do pintor destacam-se a de 1975, na Fundação Calouste Gulbenkian, com o seu trabalho como bolseiro, a retrospetiva do Centro de Arte Moderna, em 1998, a mostra no Centro de Arte Manuel de Brito, em 2009, e a retrospetiva "Outra Vez Não", no Museu Serralves, no Porto, em 2011, na sequência do Grande Prémio Arte EDP, que lhe fora atribuído.

Atualmente, Eduardo Batarda tem patente, até janeiro, no Museu Arpad Szenes - Vieira da Silva, a exposição intitulada "Great Moments. Eduardo Batarda nos Anos Setenta", organizada em parceria com a Fundação Carmona e Costa.

Em setembro passado, Eduardo Batarda foi distinguido com o Grande Prémio Amadeo de Souza-Cardoso, atribuído pela câmara municipal de Amarante.

Fonte: Notícias ao Minuto

 



NOTÍCIAS RELACIONADAS
25/11/2020
Governantes de Portugal homenageiam emigrantes nos 108 anos da Câmara de Comércio em São Paulo
23/11/2020
Portugal lança convite formal para candidaturas a Capital Europeia da Cultura em 2027
23/11/2020
Gastronomia, folclore e artesanato de Portugal na 25ª Festa do Imigrante em SP
23/11/2020
Exposição mostra convivência das culturas cristã e islâmica na formação de Portugal
23/11/2020
Centenário dos escritores Clarice Lispector, Mario Benedetti e Olga Orozco assinalado em Lisboa
23/11/2020
Romance histórico revela fatos da vida e nuances inéditas de dom Pedro I